sexta-feira, 29 de março de 2013

Feliz Páscoa... Vou contar uma história...


Minhas lindas, sei que nosso Blog é eclético e temos várias crenças, e respeito TODAS ♥ mas quero vir desejar uma FELIZ PÁSCOA a vcs todas!
Pois para mim, e pelo que eu creio, sem desmerecer a fé ( ou a não fé) dos demais, eu creio que o AMOR de DEUS por nós é imensurável, infinito, maior que tudo... Que deu seu filho JESUS em sacrifício por nós... ♥
A sexta-feira santa é para MIM um dia reflexivo... fico mais quietinha, me recolho aqui, faço minhas orações, e AGRADEÇO MUITO por tudo que o amor de Cristo fez e faz em minha vida! 
Ontem eu li o Evangelho de Lucas e as citações que me chamaram a atenção postei no meu perfil pessoal ♥
Eu queria poder ABRAÇAR CADA UMA DE VOCÊS hoje, e desejar uma FELIZ PÁSCOA!
E aproveitar esse sentimento de RENOVAÇÃO de RENASCIMENTO para propor nossa RETOMADA com ainda mais fé e força rumo também aos nossos objetivos pessoais!
Já que DEUS quer que sejamos sempre pessoas MELHORES! 
Beijos no coração de cada uma!!!!
AMO VOCÊS! Muito!




Você sabe o que é a PÁSCOA?
"Ao contrário do que se pensa, a Páscoa não é uma festa cristã, porém israelita e estritamente israelita. Nos tempos de Jesus era uma comemoração denominada "festa dos pães ázimos" quando se comia a páscoa. A páscoa, propriamente dita, era um cordeiro sacrificado no Templo por um sacerdote e depois assado e comido, juntamente com pães sem fermento, caldo de ervas amargas e vinho.
A comemoração foi estabelecida por Deus no dia em que o povo hebreu sairia do Egito e tinha por objetivo a recordação permanente ao povo de que Deus os havia libertado da escravidão do Egito (ver Êxodo 12). Era uma comemoração cuja participação de estrangeiros era terminantemente proibida e quem insistisse em participar tinha que se tornar israelita submetendo-se ao ritual da circuncisão.
Jesus participou destas comemorações durante a sua vida, porquanto nasceu através de Maria e, por isso, era considerado judeu. Na sua última comemoração, em determinado momento, substituiu para os seus discípulos a comemoração da libertação do Egito pela comemoração da libertação do pecado, estabelecendo um Novo Testamento para aqueles que cressem nele como Salvador. Substituiu a comemoração e os elementos da comemoração. Os elementos passaram a ser somente o pão e o vinho, representando o seu sacrifício físico e o seu derramamento de sangue para a remissão do nosso pecado.
Da mesma maneira que a Páscoa só tem valor comemorativo para os judeus, a Ceia só tem valor comemorativo para os crentes em Cristo, para aqueles que aceitaram a salvação oferecida e consumada por Jesus na cruz do Calvário. Por isso a Ceia também é uma comemoração restrita.
Alguns argumentam que a Páscoa deve ser comemorada pelos cristãos porque o apóstolo Paulo, escrevendo sua primeira carta aos Coríntios, afirma que "nossa páscoa, que é Cristo, já foi sacrificada por nós." Mas devemos nos lembrar que ele está fazendo referência à substituição do que era simbólico pelo que realmente se consumou, o sacrifício de Jesus. O que o apóstolo quer dizer é que Jesus é o Cordeiro de Deus que foi sacrificado pela nossa libertação da escravidão do pecado. Na festa dos pães ázimos a páscoa era um cordeiro sacrificado. No plano de Deus para a salvação da humanidade o Cordeiro dele foi definitivamente sacrificado."
Compartilhado de pastor José Honorio.




Porque Ovos de Páscoa? 

"Ovos na Páscoa! Na Páscoa, a celebração da morte e ressurreição de Cristo serve como um momento especial para que os cristãos reflitam sobre o significado da vida e do sacrifício daquele que fundou uma das maiores religiões do mundo. Contudo, muitos não conseguem visualizar qual a relação existente entre essa celebração de caráter religioso com o hábito de se presentear as pessoas com ovos de chocolate.
Para responder a essa pergunta, precisamos voltar no tempo em que o próprio cristianismo estava longe de se tornar uma religião. Em várias antigas culturas espalhadas no Mediterrâneo, no Leste Europeu e no Oriente, observamos que o uso do ovo como presente era algo bastante comum. Em geral, esse tipo de manifestação acontecia quando os fenômenos naturais anunciavam a chegada da primavera.

Não por acaso, vários desses ovos eram pintados com algumas gravuras que tentavam representar algum tipo de planta ou elemento natural. Em outras situações, o enfeite desse ovo festivo era feito através do cozimento deste junto a alguma erva ou raiz impregnada de algum corante natural. Atravessando a Antiguidade, este costume ainda se manteve vivo entre as populações pagãs que habitavam a Europa durante a Idade Média.

Nesse período, muitos desses povos realizavam rituais de adoração para Ostera, a deusa da Primavera. Em suas representações mais comuns, observamos esta deusa pagã representada na figura de uma mulher que observava um coelho saltitante enquanto segurava um ovo nas mãos. Nesta imagem há a conjunção de três símbolos (a mulher, o ovo e o coelho) que reforçavam o ideal de fertilidade comemorado entre os pagãos.

A entrada destes símbolos para o conjunto de festividades cristãs aconteceu com a organização do Concilio de Niceia, em 325 d.C.. Neste período, os clérigos tinham a expressa preocupação de ampliar o seu número de fiéis por meio da adaptação de algumas antigas tradições e símbolos religiosos a outros eventos relacionados ao ideário cristão. A partir de então, observaríamos a pintura de vários ovos com imagens de Jesus Cristo e sua mãe, Maria.

No auge do período medieval, nobres e reis de condição mais abastada costumavam comemorar a Páscoa presenteando os seus com o uso de ovos feitos de ouro e cravejados de pedras preciosas. Até que chegássemos ao famoso (e bem mais acessível!) ovo de chocolate, foi necessário o desenvolvimento da culinária e, antes disso, a descoberta do continente americano.

Ao entrarem em contato com os maias e astecas, os espanhóis foram responsáveis pela divulgação desse alimento sagrado no Velho Mundo. Somente duzentos anos mais tarde, os culinaristas franceses tiveram a ideia de fabricar os primeiros ovos de chocolate da História. Depois disso, a energia desse calórico extrato retirado da semente do cacau também reforçou o ideal de renovação sistematicamente difundido nessa época."
 



3 comentários:

  1. Olá Sandra :) estou voltando com o blog.
    Mudei o endereço mas o conteudo permanece o mesmo.
    adorei a matéria, Feliz Pácoa ^^

    Kissus ;*

    ResponderExcluir
  2. OTIMO TEXTO! E lembrando que a festa onde eram oferecidos os ovos, era uma festa pagã. Muito bom SAndrinha! E que a Pascoas se repita todos os dias da nossa vida e que possamos viver uma vida sem fermento, livres de tudo aquilo qu enão nos faz bem!

    ResponderExcluir