terça-feira, 27 de agosto de 2013

Para Começar a Correr...


Complementando o Post anterior, sobre Caminhar ou correr

Para algumas pessoas correr faz parte da rotina, outras querem começar, mas não sabem bem como. Exatamente para tirar as dúvidas de quem está planejando iniciar, conversamos com o educador físico Júlio Marchetti que respondeu algumas perguntas sobre o assunto.
Confira:
1) Quais são os maiores benefícios da corrida?
A melhora no sistema cardio-vascular, sem dúvida, é o primeiro benefício a ser destacado, e na verdade é o diferencial. Emagrecimento, no caso de qualquer exercício aeróbico, também é um benefício que pode ser obtido.
2) Como começar a correr? É bom iniciar com a caminhada? Intercalar as duas coisas?
Vai depender da condição do "novo corredor". Se o indivíduo opta pela corrida partindo de um quadro de sedentarismo total temos uma situação, caso ele treine musculação, ou jogue futebol, ou qualquer outra atividade física regular, temos outras várias situações. Cada caso deverá ser analisado individualmente.
Há várias maneiras de se iniciar, seja qual for a condição do iniciante em corridas, o método intervalado tem mostrado bons efeitos e pode ser adaptado, por exemplo: 3x1 (corre 3 minutos, caminha rápido 1 minuto), 3x2, 4x1, 4x2, etc. É interessante ir aumentando o tempo de corrida antes da pausa caminhando. Se o indivíduo for sedentário total deve começar caminhando e ir introduzindo leves trotes também no esquema intervalado.
3) Quais os cuidados para não passar dos limites? Quais os perigos de exagerar?
Caso o indivíduo esteja correndo sem supervisão profissional a responsabilidade será dele, bom senso resolve, mas talvez uma dica seja refletir sobre quanto pode aguentar num determinado ritmo. Por exemplo: "nesse ritmo que estou correndo não aguento nem 10 minutos", então diminua para um ritmo que você consiga 30 minutos.
Dificilmente as lesões ou traumas são causados por "over trainning", ou seja, por fazer mais do que o corpo aguenta. Em geral acontecem por descuidos mais primários como entorses por tropeçar, falta de técnica, falta de aptidão motora, tênis irregular, terreno impróprio...
4) Correr todos os dias é bom ou é melhor somente algumas vezes por semana?
Se for todo dia 15 minutos porque não? Na verdade depende do objetivo. Participar com a família ou namorada de provas como 10k é uma coisa, baixar o percentual de gordura é outra, correr a São Silvestre é uma terceira coisa. A única regra que possa dizer a todos é: quanto mais intenso for o treino maior deve ser o tempo de descanso.
5) Qual a diferença entre correr na rua e na esteira?
Acima de tudo o ritmo. Na rua você impõe o ritmo. Na esteira ela impõe, então é possível ter certeza que o ritmo será exatamente aquele que foi programado, facilitando o controle da intensidade e do treinamento como um todo. Na rua, caso não esteja usando um frequencímetro (monitor cardíado), o controle do ritmo é mais complicado, além da interferência ambiental como os carros, aclives, semáforos, etc. Em um parque, com um frequencímetro e um personal pode-se ter um exercício bem controlado além de eficiente e prazeroso. De novo depende do objetivo.
6) É interessante mesclar a corrida com outra atividade física como musculação ou ginástica localizada, por exemplo?
fortalecimento dos músculos e articulações alcançado com exercício de força é incontestável. Fortalecer os membros inferiores (coxas e pernas), que serão os mais utilizados na corrida, é uma atitude inteligente.
Julio finaliza lembrando que vale a pena fazer uma simples consulta ou até mesmo um bate papo com algum profissional de Educação Física. "Não custa tanto assim, principalmente se for uma única conversa. Garanto que mesmo nessa única conversa serão obtidas noções melhores do que sozinho".
Por:
Larissa Alvarez 

Nenhum comentário:

Postar um comentário