terça-feira, 27 de março de 2012

Última corrida e alguns mitos...

Oi gente...
BEIJOS em todos vocês...                                                                                                                                     
                                                                                                                                                                      
Então, como falei pra vcs no último post meu tempo tá super corrido mesmo... por conta do trabalho e da facul... Mas no último domingo fui participar de uma Prova de Corrida de Rua aqui em Recife, a 9ª CORRIDA DAS PONTES, sempre um evento super bem organizado, muita gente, é um sucesso!   Estive lá com os amigos da ACADEMIA CIA DE ATLETAS e outros da ACADEMIA CORPO & CIA.  É sempre muito legal esses encontros e a corrida pra mim é uma PAIXÃO! =)                                                                                                                           








TURMA DA ACADEMIA CIA DE ATLETAS.



COM O PESSOAL DA CORPO & CIA


TERMINEIIIIIII =)



Bom agora vamos a mais um papo sério...                                                                                                
muitas meninas me mandam perguntas do TIPO: "existe algum remédio pra queimar gordura localizada?", " se eu fizer musculação vou engordar", ... gente...eu respondo diariamente que NÃO É POR AI...=)   Não HÁ SOLUÇÃO MÁGICA, não há remédio milagroso pra fazer a gente ficar sarada da noite pro dia... Pra combater a chata da GORDURA LOCALIZADA, tem de FAZER DIETA CORRETA + treino de aeróbico ( cardiovascular) com intensidades variadas, e a musculação NÃO VAI fazer ninguém engordar... pelo contrário vai ajudar vc a acelerar seu metabolismo, ter mais músculos, ficar com um corpo mais bonito, firme, torneado, saudável! Vou postar um texto curtinho mas bem esclarecedor, ok! =)                                                                                                                                     
Na musculação existem vários mitos que ainda fazem confusão na cabeça de muitas pessoas. Então decidi escrever este tópico para tirar algumas dúvidas que possam ter quanto a certos mitos.  Não se enganem mais.=)




Mito 1 - É possível perder gordura localizada só com abdominal? Tem comprimido pra isso?



Falso: Muitas pessoas ainda acreditam que é possível perder gordura localizada. O mais comum é ver pessoas a fazer centenas de abdominais com a esperança de perder barriga. Isto é falso. A perda de gordura é geral e só se consegue com treino cardiovascular conciliado com a musculação e uma dieta cuidada.  É preciso ter noção que para perder 1 Kg de gordura é necessário "queimar" cerca de 8.000 calorias.  Ou seja, o processo de perda de gordura é um processo a médio longo prazo, onde é necessário muita disciplina e motivação. Podemos perder mais facilmente gordura numa parte do corpo do que noutra, mas isso é tudo genética. Uns conseguem perder mais gordura no abdomen, outros conseguem perder mais rapidamente nas coxas. Mas é necessário antes de TUDO DISCIPLINA NA DIETA, não adianta treinar, correr, e COMER TUDO ERRADO! 



Mito 2 - Vou transformar a gordura em músculo?

Falso: Ouve-se muitas vezes esta expressão que é errada. A gordura e os músculos são tecidos diferentes. É impossível transformar gordura em músculo e vice-versa. Assim como é impossível transformar os ossos em músculos ou em gordura. São tecidos diferentes. A maior causa para o ganho de gordura nas pessoas que sempre treinaram musculação e deixam de treinar de um dia para o outro, é o facto de estas se desleixarem para além dos treinos, na alimentação. Se deixam de treinar e continuam a comer a mesma quantidade de calorias ou a ingerir ainda mais calorias que anteriormente é normal que a massa gorda aumente.




Mito 3 - Musculação não é para mulheres... ( aff essa é a PIOR! )

Falso: A musculação é um dos fatores mais importantes para a perda de massa gorda e para a tonificação muscular do corpo. A ideia que muitas mulheres ainda têm é que a musculação vai fazer elas parecerem homens cheias de músculos. Esta ideia é falsa. As mulheres não têm os hormônios (testosterona) de um homem. E para além disso, o aumento de massa muscular é difícil até para os homens porque requer bastante disciplina no treino, alimentação e descanso. O aumento de massa muscular é benéfico tanto para homens como para mulheres, porque se trata de um tecido que provoca um aumento do metabolismo basal, ou seja, estaremos a "queimar" mais calorias em repouso o que é óptimo para quem quer perder massa gorda. O treino cardiovascular permite uma perda de calorias durante o próprio treino, a musculação permite uma perda de calorias mesmo durante o repouso. Por isso, o ideal é conjugar os 2 treinos.




Mito  4 - Fazer exercício com roupa quente, que faça transpirar muito, faz perder mais gordura? ( PELO AMOR DE DEUS NÃO FAÇA ISSO! )




Falso: Se o fizer o que vai acontecer é que desidrata mais rapidamente o que fará com que a mobilização dos triglicéridos existentes nos adipócitos (células que armazenam os lípidos e regulam a temperatura) fiquem inibidos. Para além disso, o aumento da temperatura pode reduzir o quociente respiratório e a utilização de ácidos gordos para a produção energética. Use roupas LEVES!


Ok!
Espero ter ajudado.=)
BEIJOSSSSSSSSSSSSSSSSS
TÉ A PRÓXIMA.

Muita coisa acontecendo...

Oi Gente....
Tudo bom?


Andei meio OFF essa semana passada, pois tem MUITA COISA acontecendo ao mesmo tempo na minha vida  agora... Além do dia a dia corrido mesmo com o trabalho e a faculdade em fase de provas, eu tô com muitas atividades com meu filhote, casa, marido, e ainda uns extras ...
Essa semana fiz umas fotos pra Loja Izibida Moda Fitness & Lingerie , amei, cada malha linda...da minha amiga Marri Dias... Tem fotos postadas na Fã page e no álbum do face, e vou postar algumas aqui pra vcs conhecerem.
 Também tô no corre corre de estudos por contas da provas como falei... e ainda tentando me adaptar a uma nova alimentação na dieta com MENOS carboidrato pro DESAFIO de 12 semanas pra queimar gordura com a Dani Tamega... e manter os treinos na academia... Já viu que o negócio tá puxado pra mim, né?
Então...perdão pelo sumiço!
Até lá no grupo do Emagrecendo Unidas eu tô meio off...dou só uma passada rápida e saio pois o tempo tá curto.


Bom, deixa eu postar as fotos da COLEÇÃO DA IZIBIDA pra vocês verem...e depois eu conto da minha última corrida=)
Amei fazer essas fotos=)






Com o pessoal da Loja Amanda, 



























BEIJOSSSSSS.... se você gostou das malhas e quer pedir pela Internet pode entrar no perfil da Izibida no face.=) >>>>CLIQUE AQUI <<<<

Beijos, té a próxima!

sexta-feira, 16 de março de 2012

Você é viciado em AÇÚCAR???

Oi gente...
saudade de vir aqui postar mais, mas o tempo anda corrido viu...nossa!
Muita coisa por fazer, trabalho, estudos... e pouco tempo pra net...
mas na medida do possível venho, e não deixo vcs! 

Hoje recebi um e.mail com um texto MUITO INTERESSANTE sobre o VÍCIO DO AÇÚCAR da minha amiga Lillia, e gostei tanto, achei tão esclarecedor, que resolvi postar aqui pra vcs.;) 

VALE A PENA LER.;)
 
Considerado por alguns uma droga tão viciante quanto a heroína, o açúcar esconde por trás de seu doce paladar uma verdadeira ilusão para a saúde.

Tema de teses, estudos e livros, o açúcar foi considerado veneno pelos que defendem sua abolição total da dieta. Outros alertam para o aumento vertiginoso do consumo, recomendando o uso mais restrito. Independentemente do posicionamento, em uma coisa todos são unânimes: açúcar demais faz mal!
DOENÇAS
... o lançamento na década de 70 do livro Sugar Blues (expressão idiomática da língua inglesa que significa depressão, múltiplas penúrias físicas e mentais causada pelo consumo de sacarose refinada, comumente chamada de açúcar) do jornalista norte-americano William Dufty. Com um apanhado histórico, Dufty faz uma comparação da saúde da humanidade antes e depois do açúcar, constatando uma série de doenças ocasionadas por este que ele considera uma verdadeira droga viciante, comparável ao álcool, à cocaína, à heroína entre outras. Considerado panfletário e alarmante para uns e revelador para outros, o fato é que o livro trouxe uma nova visão e fez repensar a necessidade e o objetivo de ter à mesa, em tantos alimentos, a toda hora, açúcar refinado.
O questionamento sobre o uso do açúcar envolve a qualidade do produto, que exige uma série de processos químicos desde que a cana é retirada até a conclusão do processo de refino,e também a quantidade consumida.
O consumo de açúcar teve um grande aumento nos últimos 100 anos, levando autoridades como a Organização Mundial de Saúde a realizar campanhas para reduzir os índices, propondo limitar seu consumo a 10% da caloria diária. Nesses 10% estão inseridos não apenas o açúcar que é retirado diretamente do açucareiro, mas também o que vem embutido em biscoitos, refrigerantes, bolos, doces e até no pão. Esse açúcar que parece "invisível" porque as pessoas mal se dão conta de que o estão ingerindo é o que tem oferecido maior preocupação, pois está presente na maioria dos alimentos que fazem parte da nossa alimentação. Acredita-se que é por isso que tem crescido o número de obesos, aumentado consideravelmente os casos de diabetes e estudos apontam que o excesso de açúcar aumenta risco de câncer de pâncreas.


Considerando que a utilização do açúcar como adoçante é relativamente recente na história da humanidade, em pouco tempo este "ouro branco" já tem feito muitos estragos. Antes do uso de produtos industrializados na alimentação, a humanidade se desenvolveu por milhares de anos utilizando somente os alimentos que a natureza oferecia. O gosto doce era saboreado com a imensa variedade de frutas encontradas especialmente em países tropicais, como o Brasil.
Com a descoberta do sabor do melado da cana, ele foi utilizado primeiro como remédio e só depois, mais recentemente, o açúcar passou a incorporar o cardápio entrando como mero adoçante, sem acrescentar qualquer nutriente, apesar de incluir muitas calorias na dieta.
"Em 100 anos a utilização do açúcar aumentou em 40 vezes", alerta o médico otorrinolaringologista Yotaka Fukuda, 62 anos, professor da Escola Paulista de Medicina. Ele é autor do livro Açúcar: Amigo ou Vilão?, lançado em 2004, resultado da sua tese de doutorado e anos de pesquisa sobre o tema, associados à sua experiência clinica.
Fukuda chama a atenção para esse crescente uso do açúcar que vem acompanhado do aumento de doenças de diversos tipos. "Esse aumento aconteceu depois da Segunda Guerra. Naquela ocasião não existiam doenças como diabetes, pressão alta. Elas estão diretamente relacionadas com o consumo de açúcar. Se houver uma diminuição no consumo, isso vai beneficiar em muito a população". Ele pondera que o problema é que em vez de diminuir o uso tem aumentado; por ser um produto barato e deixar os alimentos mais saborosos, a indústria tem usado cada vez mais.
Como médico otorrino, ele notava a frequência do aparecimento de casos de labirintite e começou a perceber que o fato poderia ter relação com o consumo do açúcar. "O açúcar é o maior estimulante da produção de insulina - hormônio produzido pelo pâncreas. O excesso de insulina produzido pelo consumo de açúcar leva à labirintite", afirma Fukuda, que chegou a esta constatação depois de observar diversos casos em seu consultório e realizar uma pesquisa com 100 pessoas para sua tese. Ele verificou que no universo das pessoas com labirintite, 80% tinham insulina alta. "Mais recentemente, pesquisadores de outras áreas têm verificado que o excesso de insulina leva também a problemas de pressão alta e obesidade. A pessoa engorda, adquire diabetes, fica com o colesterol alto e pode até ter derrame".
Em sua pesquisa, o médico fez a curva glicêmica e curva de insulina de cinco horas, constatando, além da insulina alta, que metade apresentava alteração na curva glicêmica. "Essas pessoas com labirintite enfrentavam sérios problemas, ficando inseguras devido à tontura, com medo de sair de casa e ter novas crises; o remédio muitas vezes só faz efeito na hora", esclarece. "O tratamento, nesses casos, é suprimir o açúcar e tirar principalmente alimentos industrializados, especialmente refrigerantes, sorvetes, bolos, biscoitos, bebidas alcoólicas como cerveja, conhaque e licor, além do leite condensado, que é açúcar com um pouco de leite".
A retirada do açúcar da alimentação desses pacientes fez efeito, acabando com os sintomas da doença."Não adianta tratarmos somente os sintomas com medicamentos, é preciso ir à causa. Retirando o açúcar você vai na raiz do problema", avalia Fukuda.
"Muitos ficaram contentes porque emagreceram, outros porque o colesterol baixou; pessoas que tinham labirintite há anos deixaram de ter e não precisam mais tomar quilos de remédio; havia pessoas que estavam a caminho da diabetes e se livraram do risco."

PREVENÇÃO
O médico otorrino explica que resolveu escrever o livro para prevenir pessoas que enfrentam esse problema da labirintite e não encontram solução e, para aqueles que têm ou correm risco ter diabetes, doenças cardíacas, obesidade etc. "Retirar o açúcar da dieta beneficia o corpo todo", recomenda, aconselhando a substituição por adoçantes. "Pode ser usado aspartame, estévia, ciclamato, sacarina. Apesar de questionarem o uso desses produtos, não há comprovação científica de que eles causem problemas".

Fukuda avisa que as crianças são as maiores vítimas desse abuso.



 "O problema costuma aparecer com 30, 40 anos de idade - é o que está acontecendo nos dias de hoje. Antes a diabetes tipo II aparecia com 70 anos. Agora aparece precocemente". Ele diz que o pâncreas, que produz insulina, depois de três a quatro décadas de sobrecarga, não aguenta. O efeito é cumulativo e o organismo não está preparado.
O médico explica que a insulina faz com que o açúcar que está na circulação sanguínea seja rapidamente levado para dentro das células. Se já tiver grande quantidade de energia nas células, essa energia vai ser depositada no corpo como gordura; além disso, o aumento de insulina provoca desequilíbrio metabólico. "O excesso afeta o trato digestivo, o pâncreas, o cérebro, os neurônios".
Mesmo para quem não tem sintomas de doenças provocadas pelo açúcar, Fukuda recomenda diminuir o consumo. "Depois que a pessoa ficar diabética é mais problemático. Fazendo uma analogia com o cigarro, é melhor deixar de fumar antes de ter câncer de pulmão".

ESFORÇO PARA MANTER EQUILÍBRIO

Imagine o que acontece se alguém coloca 21 quilos de roupa de uma só vez em uma máquina de lavar com capacidade para 7 quilos? Ela quebra. Essa é a comparação que faz a médica endocrinologista Anete Hannud Abdo, 52 anos, em relação ao processo realizado pelo organismo quando ingere alimentos para obter energia. "Como toda máquina, ele tem uma capacidade máxima que deve ser respeitada", comenta.
Anete, que atua no Projeto de Atendimento ao Obeso (PRATO) do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da FMUSP, diz que o açúcar é uma fonte de energia para o nosso organismo, mas o excesso é prejudicial. "Se fizermos as contas da quantidade de glicose que existe no volume total de sangue circulando em nosso corpo (cerca de 6 litros), temos um resultado surpreendentes equivalente aproximadamente a uma colher de chá de açúcar!"
Segundo a médica, nosso corpo procura manter esta quantidade constante, com mínimas variações nos estados de jejum e após as refeições. "Imagine o esforço que nosso organismo precisa fazer para manter a taxa de glicemia dentro da faixa normal quando ingerimos um pedaço de bolo". A endocrinologista explica que o excesso na ingestão de açúcar é prejudicial porque provoca uma elevação rápida da glicose no sangue e a manutenção da taxa dessa glicose dentro dos limites normais é importante para o funcionamento adequado do nosso metabolismo.
"Nosso organismo lança mão de estratégias para ajudar a manter as taxas de glicose no sangue sob um controle rígido", afirma. "O aumento da taxa de glicose no sangue faz o pâncreas produzir e liberar na circulação mais insulina, um hormônio que facilita a passagem da glicose do sangue para as células dos vários tecidos do corpo, trazendo de volta ao normal a quantidade de glicose contida no sangue. A glicose pode ser estocada na forma de glicogênio nos músculos e no fígado, porém em quantidades limitadas. Quando a ingestão de açúcar é muito grande e ultrapassa a capacidade de estocagem de glicose nos músculos e fígado, a glicose é transformada em gordura para ser armazenada no tecido adiposo, favorecendo a obesidade".
Esse aumento do tecido adiposo provoca no organismo uma resistência à ação da insulina, o que leva à necessidade de uma quantidade cada vez maior de insulina para realizar o transporte da mesma quantidade de glicose. Anete esclarece que enquanto o pâncreas consegue produzir a quantidade de insulina necessária para efetuar esse processo, as taxas de glicose no sangue se mantêm dentro do normal, mas a produção de um excesso de insulina traz consequências para o organismo, como o aumento da pressão arterial. "Quando a resistência à insulina for tão acentuada que ultrapassa a capacidade máxima de produção de insulina pelo pâncreas, acumula-se glicose no sangue, surgindo então o diabetes".
Comentando os problemas provocados pelo consumo excessivo de açúcar, a médica cita estudo publicado em 2007 no American Journal of Public Health, com 91.249 mulheres seguidas por oito anos, que demonstrou que aquelas que consumiam um ou mais copos de refrigerante/por dia tinham duas vezes mais chance de desenvolver diabetes do que aquelas que consumiam menos de um copo/mês. O consumo de refrigerante normal também esteve ligado à diminuição do consumo de leite, cálcio, frutas e fibras, aumento do consumo de calorias e ganho de peso. "Ao que parece, as pessoas não fazem a compensação das calorias do refrigerante diminuindo esses valores da refeição. Levanta-se a possibilidade de que os refrigerantes aumentam a fome, diminuem a saciedade ou simplesmente calibram o organismo para um gosto doce muito acentuado", avalia.
Anete diz que dietas altamente glicêmicas podem aumentar o apetite e reduzir a saciedade. "Quanto mais açúcar ingerimos, mais insulina precisamos fabricar para metabolizá-lo. Evidências sugerem que altos níveis de insulina parecem interferir com a sinalização da leptina (hormônio fabricado pelo tecido adiposo, que avisa o cérebro sobre a quantidade de gordura estocada): quando os níveis de insulina estão muito altos, o cérebro não fica sabendo quanta gordura está estocada, e o resultado final é uma maior ingestão de alimentos. Em outras palavras, quanto mais doce comemos, mais temos vontade de comer".

AÇÚCAR SÓ ENGORDA

"Em termos nutricionais, o açúcar é o que chamamos de caloria vazia: só tem carboidrato, não tem nutrientes", alerta o médico especialista em nutrologia Eric Slywitch, responsável pelo departamento de medicina e nutrição da Sociedade Vegetariana Brasileira. Ele explica que quando a pessoa utiliza o açúcar branco, está ingerindo calorias que vão acrescentar valores na sua dieta, mas sem ter uma contraparte nutricional. "Não traz nada de benefício para o corpo; pelo teor calórico, se come demais, engorda".
Slywitch diz que não é possível saber se as doenças enfrentadas pelas pessoas que estão acima do peso ocorrem pela obesidade ou por causa do açúcar. "O que sabemos é que quando o açúcar puro é ingerido ele entra rápido no sangue, faz com que haja aumento da glicemia e o trabalho que o pâncreas precisa fazer para colocar açúcar na célula é maior, o que aumenta o risco de diabetes". Por isso, como profissional ele recomenda que as pessoas mudem seus hábitos em relação ao consumo de açúcar, mudando também o paladar.

PROBLEMA MAIOR ESTÁ NO ABUSO

O corpo humano não estava acostumado à ingestão da quantidade de açúcar que é consumido atualmente e essa sobrecarga tem gerado o desequilíbrio que dá origem a tantas doenças. "Durante milhões de anos, nossos antepassados consumiam algo em torno de 8 gramas de frutose/dia (tipo de açúcar proveniente de frutas e do mel) e cerca de 300 gramas de glicose, provenientes principalmente de alimentos ricos em amido; nosso organismo se acostumou a processar essa quantidade diária", informa o medico ortornolecular Cyro Masci. "Atualmente nossos pâncreas têm que produzir em um único dia, diariamente, a quantidade de insulina que nossos ancestrais possivelmente produziam durante uma vida inteira".
Masci comenta que essas mudanças têm afetado diretamente o organismo, provocando muitos males. "Desde a Idade da Pedra o ser humano vivia basicamente dos animais que conseguia caçar e dos vegetais que conseguia coletar. Os carboidratos constituíam mais ou menos 45% da alimentação, contra os mais de 50% da atualidade", afirma. "As fontes de açúcar também eram diferentes, tinham origem basicamente nas frutas e talvez um pouco de mel, que faziam os níveis de glicose e de insulina subirem lentamente. Bem diferente do açúcar e da farinha refinados, que são rapidamente absorvidos e geram picos de glicose e insulina no sangue".
Uma das principais diferenças, segundo o médico, é que nossos ancestrais usavam uma alimentação mais natural, tendo o mel como adoçante; a cana de açúcar, que antes era consumida como fruta, passou a ser esmagada por máquinas e seu caldo passa por um processo químico que permite a fabricação do açúcar refinado. "O açúcar era um artigo de luxo dos nobres, que em troca dessa delícia passaram a conhecer doenças como a obesidade, a cárie dentária e a gota".

DESEQUILÍBRIO

Masci afirma que em seu consultório encontra muitas pessoas que têm suas funções orgânicas prejudicadas pelo uso abusivo do açúcar. O médico ortornolecular esclarece que a ingestão excessiva de açúcar pode estar relacionada a dois fatores: ansiedade e mudanças na flora bacteriana do intestino. "Sabe-se que mudanças na flora intestinal podem acabar permitindo o crescimento exagerado de certas bactérias que se alimentam preferencialmente de açúcar. Essas bactérias têm a capacidade de inibir nossa produção cerebral de serotonina, um neuro-químico muito importante no controle do humor e da ansiedade. Assim, com menor produção de serotonina, a pessoa acaba ficando mais ansiosa, além de aumentar a tendência à depressão, e acaba ingerindo mais e mais açúcar. Açúcar habitua, chega a ser um vício".

CÂNCER

Mas, afinal, o que é esse pó branco, que alguns chamam de ouro branco, que causa tanta polêmica, dá euforia, alguns dizem que até vicia, oferece prazer e pode prejudicar nossa saúde? A química Conceição Trucom explica que o açúcar refinado é resultado de um processamento físico-químico que extrai da garapa a sacarose purificada e anidra, usando e adicionando produtos químicos como clarificantes, anti-umectantes e agentes de moagem. "Eles são aditivos químicos, sintéticos, muitas vezes cancerígenos e danosos à saúde”, avalia a cientista.
Conceição lembra que até cerca de 300 anos a humanidade não usava aditivos doces na dieta. "O mel era usado eventualmente, mas como remédio", diz. "Esse processo histórico prova que o açúcar é desnecessário como alimento". Só nos últimos séculos o açúcar passou a ser produzido em larga escala, aumentando seu consumo e sendo cada vez mais purificado, até se transformar no pó branco que conhecemos. "Somos uma civilização consumidora de milhares de toneladas diárias de açúcar. O Brasil é um dos maiores produtores de açúcar do mundo; o brasileiro consome cerca de 200 g de açúcar por dia. Por extensão são cerca de 6 kg ao mês ou 72 kg por ano. Portanto, a cada 13 anos a pessoa consome 1 tonelada de açúcar. Então um cidadão brasileiro de 40 anos já fez passar pelo seu pâncreas algo como 3 toneladas de açúcar".
A química avisa que o açúcar refinado deve ser considerado um produto quimicamente ativo, porque resulta de um processo de purificação. "Do xarope inicial, além de evaporado, são retiradas fibras, proteínas, sais minerais, enzimas, vitaminas, etc. O produto final é sacarose concentrada a mais de 90%, um carboidrato de elevado poder calórico e de liberação de glicose no sangue".
Ela informa que quando consumimos um produto extremamente concentrado, como o açúcar, é exigido do organismo uma compensação química: são sequestrados cálcio, ferro e magnésio do metabolismo e das reservas. "Indiretamente, o açúcar ‘rouba’ do organismo depósitos destes minerais e esta carência de cálcio, magnésio e ferro aumenta quanto maior a ingestão de açúcar. Podemos afirmar então que o açúcar é descalcificante, desmineralizante, desvitaminizante, uindigesto, ou seja, um forte agente de desarmonizacão metabólica".
Ela alerta para o fato de quem consome muito açúcar tornar-se um dependente orgânico que quanto mais está intoxicado, mais deseja açúcar; fica mais sedentário, sem força física, emocional e mental. "Grandes consumidores de açúcar geralmente tendem à fraqueza, à anemia e acreditam que não podem fazer nada sem consumir um pouco de doce.

quinta-feira, 8 de março de 2012

Tá sem tempo??? E ai???

Oi Gente , tudo bem com vocês???
Então...
atendendo aos pedidos de algumas amigas e leitoras que andam com a ROTINA PUXADA, corrida, sem muito tempo para conseguir treinar numa academia, enfim... eu prometi que ia postar pra vocês algumas dicas de TREINOS QUE PODEM SER FEITOS  EM CASA mesmo...
E além disso nos posts anteriores TEM DICAS de como CONGELAR os alimentos pra ajudar você a manter a dieta na correria... (se quiser ver clique ai no link) >>>DICAS DE CONGELAMENTO
Lá vamos nós... a 1ª coisa que você precisa ter em MENTE é que hoje em dia quase todo mundo tem uma vida corrida e atarefada... COMIGO TAMBÉM É ASSIM, eu acordo todo dia as 5:00h, 5:30h, pra conseguir dar conta da minha ROTINA de mãe-profissional-atleta-esposa-estudante... NÃO É MOLE, MAS A GENTE CONSEGUE sim!  
Vem comigo......



faça em casa...


Saúde e Atividades Físicas

O estilo de vida cada vez mais sedentário, aliado ao uso crescente da tecnologia na vida cotidiana, estão causando altos níveis de inatividade entre pessoas de todas as idades, em todo o mundo. 
A Organização Mundial de Saúde reconhece a grande importância da atividade física para a saúde física, mental e social, capacidade funcional e bem-estar das pessoas.
O sedentarismo é enfatizado, como um factor de risco causador de doenças, com a mesma importância que o fumo e a alimentação.
O estilo de vida é responsável por 54% do risco de morte por problemas cardíacos, e por 51% do risco de morte de um indivíduo.
A vida sedentária é um fator de risco relevante para várias doenças!
A atividade física pode ajudar a atingir o peso corporal apropriado e contribui positivamente para a mudança de outros fatores de risco de doenças, desta forma, contribui para o controle do diabetes, colesterol alto e hipertensão arterial.
É importante compreender a relação intrínseca entre saúde e estilo de vida saudável, em que a atividade física participa como fator fundamental. Deve-se ter sempre em mente que o corpo humano foi projetado para a ação, e não para a inatividade.

“Os que não encontram tempo para o exercício terão de encontrar tempo para as doenças.”                        Edward Derby

Benefícios da Atividade Física para o organismo

A atividade física realizada na maioria dos dias da semana melhora a saúde nos seguintes aspectos:
·     Reduz o risco de morte prematura.
·     Reduz o risco de morte por doença cardíaca.
·     Reduz o risco do desenvolvimento de diabetes.
·     Reduz o risco do desenvolvimento de hipertensão arterial.
·     Auxilia na redução do nível de hipertensão nas pessoas que já a possuem.
·     Reduz o risco do desenvolvimento do câncer de cólon.
·     Reduz sentimentos de depressão e ansiedade.
·     Auxilia o controle de peso.
·     Ajuda a construir e manter saudáveis ossos, músculos e articulações.
·     Ajuda os idosos a se tornarem mais fortes e mais aptos a se locomover sem cair.
·     Promove bem-estar psicológico.
Quais os tipos de exercícios?

Basicamente, existem dois tipos de metabolismo empregados pelo organismo na produção de energia para a execução do trabalho muscular: o aeróbico e o anaeróbico.
A intensidade do estímulo físico é que irá determinar o tipo de atividade metabólica de que o organismo lançará a mão.
  • Estímulos de baixa e moderada intensidade permitem trabalhos musculares de longa duração com pouco dispêndio de energia e são considerados atividades físicas aeróbicas. Como corrida, caminhada.
  • Estímulos de forte intensidade desencadeiam um metabolismo que proporciona uma produção de energia rápida, que permite um trabalho muscular de curta duração com grande dispêndio de energia, e caracterizam as atividades anaeróbicas, como o levantamento de peso e as corridas de curta distância .
Para que se consiga obter maior resistência cardio respiratória, os exercícios aeróbicos (caminhar, correr, natação, ciclismo) devem ser executados com uma intensidade determinada pela frequência cardíaca (número de batimentos por minuto), de forma regular e de maneira contínua, durante, no mínimo, 30 minutos, com uma frequência de três a cinco vezes por semana. 




PRA COMEÇAR:


1. Mas só você, com a sua força de vontade, disciplina e bom senso, é o principal responsável pelos resultados. É quem vai transformar, através da atividade física, o seu dia-a-dia numa fonte constante de prazer.

2.     Realizá-los com regularidade.
3.     Transformar o exercício numa fonte de lazer.
4.     Fazer os alongamentos e o devido aquecimento antes de praticar qualquer tipo de exercício.
5.     Exercitar-se até se sentir "agradavelmente" cansado.
6.     Não querer fazer tudo de uma vez e só uma vez.
7.     Procurar o exercício mais adequado para as características do seu próprio corpo.
8.     Praticar exercícios que requeiram movimentos fáceis e envolvam todos os grupos musculares.
9.     Evitar competir com os outros e principalmente consigo mesmo.
10. Nunca praticar um exercício  só no fim de semana, principalmente se não estiver com alguma preparação física.
11. Antes de se envolver num programa de exercícios, submeter-se a uma avaliação com o seu médico e procurar orientação de profissionais especializados.
12. Não se descuidar da hidratação. Quanto mais intensa a prática do exercício, maior a perda de água e sais minerais. Por isso beba muita água antes, durante e após o treino.
13. Se nunca foi adepto de ginástica ou de algum  exercício, o preferível é caminhar.

A caminhada é o primeiro passo para a pessoa deixar de ser sedentária. É uma atividade física aeróbica de baixo impacto, barata e fácil de ser executada. Não exige nenhuma habilidade física em especial e não ocasiona nenhum dano físico importante. 
Caminhar alivia as tensões, traz prazer e bem-estar, ajuda a controlar o peso e fortalece os músculos e o coração. É uma atividade simples que, feita de forma programada, proporciona excelente condicionamento físico.
Na preparação para a caminhada, deve estar incluída uma série de alongamentos.

Alguns conselhos para a caminhada
o       Usar roupas leves, claras (se caminhar durante o período de sol), confortáveis e de tecido que absorva a transpiração.
o       Usar calçado adequado. Deve estar bem ajustado para não ocasionar fricção inadequada em áreas de maior atrito.
o       A velocidade e a duração do exercício, no início, devem obedecer a um programa determinado, personalizado e orientado por um professor de educação física e o exercício deve ser feito por cerca de 30 minutos. 

Que efeitos podemos colher da atividade física regular?

1.     Ajuda a pessoa a ser mais produtiva no trabalho.
2.     Aumenta a capacidade para trabalhos físicos.
3.     Dá mais disposição para outras atividades.
4.     Aumenta a força muscular.
5.     Ajuda o coração e pulmões a trabalharem de forma mais eficaz.
6.     Fortalece os músculos.
7.     Traz maior flexibilidade.
8.     Proporciona mais energia.
9.     Ajuda na diminuição do stress.
10.  Melhora a auto-imagem.
11. Aumenta a resistência à fadiga.
12.  Ajuda a controlar sintomas depressivos e ansiosos.
13.  Ajuda a relaxar e a sentir menos tensão. 
14. Melhora a capacidade de conciliar o sono rapidamente e de dormir bem.

Tenha cuidado e avalie o seu condicionamento físico

-  No dia seguinte a um maior esforço físico, você acorda todo dolorido?
-  Você acha difícil curvar-se, virar-se ou fazer uma rotação do tronco? 
-  Você sente-se frequentemente cansado, mesmo sem ter feito nenhum exercício especial?
-  Tem dificuldade em conciliar o sono, mesmo quando está muito cansado?
-  Quando corre pequenas distâncias ou sobe escadas, você fica sem fôlego?
-  O seu peso está acima do ideal?
-  Você sente-se deprimido, às vezes, sem motivo?

Se você respondeu "sim" a uma das perguntas acima, está a precisar de melhorar o seu condicionamento físico.
As pessoas que sofrem de cansaço generalizado, sem causas médicas, beneficiam com mais exercício ao invés de mais descanso.

FONTES:
§  WHO – World Health Organization
§  Ministério da Saúde – Governo Brasileiro
§  "A Linguagem da SAÚDE" – Luiz Alberto Py e Haroldo Jacques
§  "Alongue-se no Trabalho" – Bob Anderson e Helena Lapas


BOM VOU POSTAR UNS VÍDEOS QUE ACHEI LEGAIS PRA VOCÊS SOBRE EXERCÍCIOS QUE PODEM SER FEITOS EM CASA:

PARA PERDER A BARRIGA



OS MELHORES PRA GLUTEOS, PERNA E ABDOMEM


ALONGAMENTOS



PULAR CORDA, ATIVIDADE AERÓBICA.

GENTE...existem diversas possibilidades pra vcs se exercitarem...vcs podem usar CANELEIRAS, pesinhos, podem comprar esteira ou bike, pode caminhar ou correr na rua, ou pular corda, ou ainda usar um JUMP, aquela caminha elástica...
EXPLORE AS POSSIBILIDADES... use a criatividade.;) 
BEIJOS
té a próxima.=)